sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Tecnologia ao alcançe das crianças





Se você acredita que o principal assunto do seu filho na hora do recreio é somente sobre algum desenho animado, provavelmente está muito enganado. Com os avanços da tecnologia, o interesse das crianças em ficar por dentro das novidades da área aumenta diariamente. Não há como negar o quanto os pequenos absorvem mais informações que os adultos com o uso dos computadores, que hoje passaram de entretenimento a ferramenta indispensável para os estudos escolares.


Uma pesquisa feita em 2007 para o canal de TV infantil Cartoon Network revelou que as crianças estão cada vez mais ligadas em tecnologia. Essa mudança no comportamento se reflete no perfil do presente que elas gostariam de ganhar: a maioria pediu algum equipamento tecnológico. Os computadores, a internet e os videogames encabeçam a lista dos itens mais presentes no cotidiano da garotada.


Os meios de se relacionar online com os amigos estão entre os principais, motivos que deixam as crianças cada vez mais conectadas. Hoje em dia, os jovens realizam múltiplas tarefas ao mesmo tempo, desde mandar torpedos para celular a participar de grupos de discussão com atualizações constantes. A tecnologia wireless (conexão sem fio) permite ainda que as crianças possam levar para qualquer lugar seus laptops e assim, continuar acessando informações, como redes sociais, msn, e jogos, entre outras.


Segundo um estudo feito pelo Personal Finance Education Group, no Reino Unido, o interesse da criança em adquirir tecnologia, como celulares ou jogos para o computador, pode ajudar no desenvolvimento da consciência do dinheiro. A preocupação com a quantidade do uso do celular e em conseguir dinheiro para comprar os últimos lançamentos faz com que muitos pequenos se ofereçam para realizar tarefas domésticas para os pais como uma espécie de permuta. Este estímulo pode ser muito positivo, desde que os pais orientem os filhos a tomar decisões seguras sobre o gerenciamento financeiro.  


Como escolher o melhor computador para o seu filho
Diante da importância de manter os filhos em dia com o que há de mais avançado em tecnologia, muitos pais se vêem cheio de dúvidas na hora de escolher um computador para eles. Desktop ou laptop? Qual a melhor marca?


Antes de tudo, é preciso estar atento ao perfil da criança. Se o seu filho gosta de manter-se conectado o tempo todo, o ideal deve ser um notebook, que ele poderá levar até para viagens. Para realizar a compra com a garantia de ter feito uma boa escolha, fique atento se o aparelho terá um bom desempenho para rodar jogos. Para garantir a performance desejada, o ideal é uma máquina com no mínimo 2Gb de memória.
Procure um equipamento que não tenha placa de vídeo integrada. A melhor opção seria uma placa gráfica offboard, com uma placa aceleradora dedicada. Já o processador pode ser qualquer um com chip core 2 duo.
   
Brinquedos inteligentes
Não são só os computadores que possuem a capacidade de desenvolver o raciocínio das crianças. Hoje em dia a tendência no mercado de licenciamento de produtos infantis é a busca por brinquedos inteligentes, que oferecem mais que puro entretenimento.


Já existem produtos, como a linha de bichos de pelúcia, da Positivo, feitos para integrar o lúdico com a tecnologia. O leão da linha Bichos da Floresta que conta também com a girafa, o elefante, o macaco e o urso, por exemplo, vem com uma chave de acesso com um código para um portal de entretenimento e educação na internet. O portal oferece brincadeiras relacionadas a cada animalzinho, com o objetivo de estimular o aprendizado de crianças entre 3 e 6 anos. No site, é possível assistir a vídeos que ensinam a montar um tabuleiro, um jacaré com um rolinho de papel e um dado, entre outras atividades.


"Aproveitamos nossa expertise em educação para desenvolver um produto que une o concreto ao virtual, dentro de um conceito que equilibra diversão e aprendizado, adequado às aspirações das crianças desta geração 100% conectada", afirmou André Caldeira, vice-presidente da divisão de Tecnologia Educacional.
O conteúdo interativo contém atividades desafiadoras que estimulam várias habilidades infantis. Entre as habilidades, está a capacidade de resolver problemas através de jogos educativos.

Os pais ainda podem contar com uma área dedicada a eles no portal, onde terão a oportunidade de acompanhar e analisar as atividades feitas pelos filhos. É possível ainda controlar o tempo adequado para o uso do site de acordo com a preferência de cada responsável.
Cuidados com a web


A Internet nos conecta com o mundo em apenas um clique. Por este motivo, é preciso tomar cuidado com o tipo de informação que seus filhos estão acessando. Quando utilizada com precaução, a web serve para estimular a curiosidade das crianças, ajuda nas pesquisas escolares, a fazer amigos. Mas infelizmente, existem muitos perigos ocultos que podem prejudicar as crianças. Um deles é o cyberbullying, uma prática que preocupa cada vez mais pais e professores. Com a ajuda das ferramentas e sites de relacionamento, crianças e até adultos humilham, difamam e discriminam outras pessoas de forma anônima.


Para evitar que seu filho seja vítima deste tipo de agressão, é imprescindível prestar atenção no comportamento do seu filho, tanto em casa como na escola, além de colocar filtros de navegação e estabelecer limites para o uso da Internet. Com a ajuda dos filtros (programas existentes no próprio Windows), pode-se evitar que a criança fique exposta a conteúdos impróprios para menores de idade.   

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Ensine seu bichinho de estimação a não ter ciúmes do bebê




Crianças e animais podem virar amigos. Veja algumas dicas para acabar com o ciúmes do bicho quando tem um bebê a caminho.


Já ouviu falar que alguns cães e gatos descobrem a gravidez das donas antes que elas mesmas percebam? Isso ocorre porque os hormônios mudam o cheiro da futura mamãe. Claro que esses animais sensíveis morrerão de ciúme por dividir as atenções com um recém-nascido. 


Mas o estresse é contornável. “Basta tratar a situação com naturalidade", sugere o veterinário Nivaldo Albolea. O desafio da aceitação depende muito mais da família do que dos animais. "Eles precisam perceber que continuam tendo amor e espaço", diz a veterinária Luciana Dechamps. Veja como transformar sua casa num ambiente mais harmônico para seres de duas ou quatro pernas.




Se você tem...


Cachorro


Não isole o quarto do nenê
Se ele tinha livre acesso, não entenderá a mudança.


Leve-o sozinha para passear
Isso acaba com a carência.


Dê florais sem conservantes
Eles diminuem a insegurança e aumentam o bem-estar.


Ofereça petiscos quando eles estiverem juntos
A atitude tende a fazer o cãozinho associar o "intruso" a uma coisa boa.


Jamais despache o animal para o apartamento da sogra, esperando a criança crescer
O motivo é simples: você corre o risco de ficar sem seu melhor amigo...


Gato


Deixe ele se acostumar com o cheior do bebê
Coloque um macacãozinho da criança na caminha dele.


Passe spray de capim-limão nas costas do peludo
O cheiro provoca sensações boas. Mas jamais espirre o produto (encontrado em pet shops) direto no bicho. Direcione o jato para sua mão e acaricie o lombo dele.


Pegue-o no colo
Demonstre carinho por ele.


Pulverize feromônio no ambiente
O produto, comprado em pet shop, acalma os ânimos.

Dificuldades na Fala das Crianças




Dificuldades na fala são comuns nos primeiros anos de vida da criança, mas devem ser observadas quanto à resolução espontânea


As primeiras palavras pronunciadas de forma errada por crianças costumam ser vistas com graça e admiração por adultos. Falar palavras de maneira equivocada, como “amalelo”, é corriqueiro e normal até certa idade. Mesmo sendo bonitinhos no começo, os erros desse tipo precisam ser observados se evoluem de modo favorável ou não. 


O desenvolvimento da fala geralmente ocorre da seguinte forma: 
• Com um ano de idade, a criança fala aproximadamente três a cinco palavras. 
• Com um ano e meio, cerca de vinte palavras já fazem parte do vocabulário dos pequenos. 
• Entre um ano e meio e dois anos, o vocabulário chega próximo de 50 palavras e já há a construção de frases simples. 
•Aos três anos, cerca de metade do que as crianças falam é pronunciado sem erro. Nessa faixa etária, elas já contam histórias e acontecimentos. 
• Com quatro anos, praticamente todos os sons são pronunciados corretamente, podendo haver dificuldade em apenas alguns fonemas mais complicados. 


Dificuldades 
As dificuldades na fala devem ser observadas para que não comprometam a comunicação da criança durante a vida escolar. Até os dois anos, no entanto, o atraso da fala não deve ser preocupante. O mais importante nessa idade é verificar se a criança entende o que é dito ou solicitado a ela. Existindo essa compreensão por parte da criança, é pouco provável que existam problemas mentais e de audição. 


A partir dos dois anos, a criança pode apresentar gagueira, porque ela pensa depressa, mas ainda fala devagar, ou seja, um vocabulário maior já está presente, mas o processo de busca da palavra correta e sua articulação ainda não estão maduros. Não se deve corrigi-la, pois é um sintoma normal, que desaparece rapidamente. Caso se prolongue por vários meses, é recomendada a procura por um profissional especializado. 
A troca do erre (R) pelo ele (L) também é bastante comum no início do desenvolvimento da fala e normal até aproximadamente os três anos de idade. 


Alguns sinais são determinantes no desenvolvimento saudável da linguagem das crianças. Por isso, consulte um pediatra se, aos dois anos, seu filho não imitir sons ou palavras e/ou não usar frases com duas palavras. 


Dicas para os pais ajudarem o desenvolvimento da fala dos filhos: 


• Converse com eles; 
• não ridicularize os erros de linguagem; 
• ensine as palavras de forma clara, correta e com paciência; 
• não se expresse de maneira infantilizada, pois as crianças costumam repetir o que ouvem; 
• fale com clareza o nome do objeto solicitado pelos pequenos. 


É importante também que os pais levem suas observações e questionamentos ao pediatra, pois o tempo da consulta pode ser insuficiente para que o profissional consiga observar as alterações na fala. Além disso, algumas crianças ficam tímidas diante do médico e não se expressam verbalmente. 


segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Óculos escuros para crianças



A exposição solar sem proteção pode causar problemas a longo prazo. Há vários modelos bacanas para seu filho usar todos os dias.

Se o seu filho não tem óculos escuros, vale a pena providenciá-los. Não existe idade mínima para começar a usá-los (com 8 meses ele já pode ganhar um), mas a partir dos 2 anos não dá para postergar o hábito. Quanto mais as crianças se expõem ao sol, mais necessários são os óculos – e estamos falando também de brincadeiras em parques ou no quintal de casa. Os olhos delas são mais sensíveis que os do adulto. A exposição visual sem proteção pode causar, a longo prazo, perda da visão central. Mas não compre óculos de camelôs, porque não há garantia de que as lentes tenham proteção UVA e UVB. Os modelos abaixo, segundo os fabricantes, protegem contra esses raios.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Conheça a Síndrome do Bebê sacudido!



Um chacoalhão em bebês é extremamente prejudicial para a saúde deles. Esse ato, também conhecido como a síndrome do bebê sacudido, em geral acontece em casos extremos, quando a criança sofre agressões num momento de descontrole de quem está cuidando dela e a balança com força pelos braços, num movimento para frente e para trás sem apoio da cabeça.

“O bebê pequeno tem a cabeça maior que o corpo, com o pescoço mole, sem a musculatura bem desenvolvida. Ao fazer movimentos bruscos, de extrema aceleração e desaceleração, podem ocorrer lesões cerebrais”, diz Márcia Sanae Kodaira, pediatra e coordenadora médica da unidade de emergência e internação do pronto atendimento infantil do Hospital Santa Catarina (SP).

Porém, em casos mais raros e sem a intenção dos cuidadores, isso pode acontecer. Um dos exemplos é de quando o bebê engasga e, no desespero, os pais o sacodem para que volte a respirar normalmente. Uma das maneiras para ajudar o bebê a soltar o leite que por acaso voltou e virá-lo de lado, nunca balançá-lo com força.

As sequelas podem ser transitórias ou definitivas. Segundo a especialista, muitas crianças podem ter retardo de desenvolvimento neuropsicomotor, surdez e até lesões oftalmológicas sem que nunca o diagnóstico seja relacionado às sacudidas bruscas. Em 30% dos casos, o bebê pode morrer.

Mas fique calma e não confunda! A síndrome do bebê sacudido não tem nada a ver com as brincadeiras que você faz com o seu filho, o embalar nos braços, num balancinho para bebês ou as chacoalhadas que o carrinho faz ao caminhar pelas ruas. O que faz mal é o movimento brusco, não o carinho que você dá para o seu filho.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

USB Big Panda Speaker



Achei este USB Big Panda Speaker no site do Gadget4all, muito legal para crianças, por US$ 27 dólares. Este modelo pode é conectado via USB.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Dez coisas para você ensinar ao seu bebê




1. Que ele pode contar sempre com você
Cada vez que você responde ao choro do seu bebê por comida, atenção ou troca de fraldas, ele aprende que tem alguma importância na sua vida e que pode contar com a sua ajuda.


2. Que ele pode contar consigo mesmo
Em vez de entrar no quarto cada vez que ouvir um barulhinho, experimente esperar alguns segundos pra ver se ele volta a ficar em silêncio. Uma hora, o bebê vai achar uma posição confortável e pegar no sono sozinho. Sem ter que levantar da cama, você ensinou ao seu filho que ele pode se virar de vez em quando. E você também aprendeu algo: que às vezes, ser uma boa mãe significa fazer menos pelo seu bebê, não mais.


3. Que ele pode se equilibrar
Carregar seu filho nos braços ou no sling estimula o desenvolvimento do equilíbrio do corpo dele. Quando já souber sentar, passeie com o carrinho sobre lugares com superfícies diferentes, como o piso de cascalho, uma calçada lisinha ou um gramado. Isso vai desenvolver o equilíbrio e fortalecer os músculos que o mantêm sentado.


4. Que ele pode se movimentar
Quando seu bebê finalmente levou os pezinhos à boca, pegou uma bolacha no pote ou deu seus primeiros passinhos, você com certeza sorriu e aplaudiu, mostrando que ele tem um motivo para se orgulhar. Ser reconhecido é essencial no aprendizado da criança, e não existe nenhum segredo para seu fazer seu filho desenvolver as habilidades motoras. Tirar os obstáculos do chão já é quase o suficiente. O que mais falta? Comemorar!


5. Que ele pode aprender como funcionam as palavras 
Ler o jornal em voz alta, conversar com o bebê como se fosse gente grande, contar pra ele como foi seu dia e até cantar são atitudes que ajudam no desenvolvimento verbal do seu filho, conforme ele percebe o tom de voz e ritmo em que você fala. Palavras curtas e assuntos infantis são agradáveis, mas não necessários.


6. Que cada um tem sua vez
Sabe brincadeira de esconder? Primeiro você esconde o rosto, depois é a vez do seu bebê. Quando você e seu filho se revezam nas brincadeiras e atividades do dia-a-dia, você está ensinando a ele a importância de dividir, sociabilizar e cooperar com os outros.


7. Que é saudável fazer bagunça
Enquanto estiver cozinhando, experimente deixar seu bebê brincar com uma tigela de plástico e uma colher. Ele vai fazer um montão de descobertas: “Será que a colher vai caber na tigela?” “Com que força eu preciso bater a colher até fazer barulho?” “Quanto barulho eu posso fazer até a mamãe se irritar?”


8. Que você entende o que ele está sentindo
Você fez cócegas nos pezinhos do seu filho e ele deu risada. Mas depois de um tempo, ele ficou irritado, e você logo parou. Nesse momento, você o ensinou que sabe ler e respeitar seus sentimentos. Como o bebê não sabe falar, ele depende de como você interpreta os gestos e expressões faciais. Com um pouco de dedicação você entende o que ele quer dizer, e ele ao mesmo tempo, se esforça para se comunicar.


9. Que ele tem um mundo inteiro para explorar
Hoje você levou seu filho para a lavanderia, o parque e o banco. Pode ter sido um dia qualquer pra você, mas para os bebês, cada dia é uma aventura. Eles ainda não têm memória de longo prazo, então toda vez que vão ao parque, é quase como se estivessem indo pela primeira vez.


10. Que a vida tem uma rotina
Você trocou a fralda do bebê, deu almoço, colocou ele no carro e levou a irmã mais velha à escola, e mais tarde, quando estava escurecendo, começou a fazer o jantar. Fazendo as atividades casuais, você ensinou ao seu bebê que o mundo dele é consistente, previsível e estável. Percebendo essa rotina, ele vai tentar adivinhar o que vai acontecer em seguida e esperar ansioso pela próxima atividade.


quarta-feira, 18 de novembro de 2009

O que fazer se seu filho está com alergia dermatológica?




A doença que mais leva crianças pequenas ao dermatologista é a dermatite atópica. Os sintomas são vermelhidão e coceira. Ela atinge entre 10% e 20% da população brasileira – não há dados específicos sobre a incidência em crianças. No Japão, chega a 50%. Uma das explicações seria a poluição, mas essa alergia ainda não tem causa definida. Nos bebês, aparece primeiro no rosto. Nos mais velhos, nas partes externas das dobras. Os joelhos e os cotovelos são as primeiras vítimas.


“Agora ele tem alergia” Como assim?!
Sim, de uma hora para outra, seu filho pode ter alergia a coisas que ele nunca teve. Chama-se dermatite de contato. O organismo passa a reconhecer um determinado produto como “inimigo”. Quando aquilo que causa alergia encosta na pele da criança, como alguns metais e até a fralda, por exemplo, provoca reações, como inchaço.


Situação de estresse
A chegada de um irmãozinho, mudança de casa, separação dos pais. Quando a criança passa por uma situação de estresse pode desenvolver alguma alergia de pele. Essa é uma informação importante para contar para o médico.


Exames 
O teste de contato, feito nas costas, é usado para descobrir a causa das crises alérgicas. Cada quadradinho colocado tem possíveis alérgenos. Em geral, é preciso ficar mais de um dia com ele. Pode causar coceira. O teste sanguíneo, chamado Rast, que verifica mais de 20 substâncias, mostra a quais alérgenos seu filho pode ter reações. O médico vai definir o melhor exame para cada caso. Não faça automedicação. Quando aparecer um sintoma, leve seu filho ao médico

Brinco de prata ou bijuteria 
Alergia à prata ou bijuteria não é comum em crianças pequenas, mas pode acontecer. Não adianta passar um impermeabilizador na haste na tentativa de criar uma barreira entre o metal e a pele. Tem que parar de usar sem dó. A solução são os modelos de ouro.


Bebê cheiroso (demais...) 
O número de produtos de higiene que seu bebê usa pode indicar por que ele tem alergia. “A criança só precisa de xampu e sabonete neutro”, afirma Flávia Addor, dermatologista. Se quiser passar perfume, ponha um pouco na roupa, nunca direto na pele. Para as crianças que têm cabelo crespo, use condicionador apenas nas pontas dos fios. E talco, nunca!


Como tirar a caspa do recém-nascido? 
Na verdade não é caspa, mas, sim, a crosta seborreica. Você pode usar óleo mineral para retirá-la. Passe na cabeça do bebê meia hora antes do banho e tire, sem forçar, na hora da lavagem. Com o tempo, regride ou diminui. Se isso não acontecer, fale com o médico.


Cuidado com as picadas de..
...pernilongo Só nos Estados Unidos, 2 milhões de pessoas são alérgicas à picada de insetos – no Brasil não existe dados específicos. Você pode usar repeletentes infantis no seu filho a partir de 6 meses de vida. Não deixe de ler as recomendações de uso na embalagem. Para tratar as lesões, procure um especialista. Não é exagero, não. Algumas pomadas, por exemplo, não podem ser usadas se a criança for exposta ao sol. Elas podem causar alergia.


...formiga A dica para tratar picadas de pernilongos vale para as formigas também. Não existe uma maneira de evitá-las, mas você pode colocar um lençol em cima da grama para proteger seu filho durante a brincadeira.


...aranha Não tente tratar em casa. Corra para o pronto-socorro. Se conseguir, coloque a aranha que causou o ferimento em um pote e leve com você. Assim, o médico pode dar para a criança o soro específico para o veneno.


Modelo de bolsa trocador fashion






Um dos ítens mais essenciais para cada mãe de um bebê recém-nascido é uma bolsa. A bolsa Mat Bag contém todos os itens necessários de seu bebê como fraldas, toalhas, garrafas e etc. Toda mãe também concorda que o trocador geralmente contamina o interior da bolsa. Como uma solução para isso, Baita Design desenvolveu um conceito único de bolsa que terminará certamente todos os males mãe quando se trata de contaminação devido ao trocador. a Bolsa, conhecida como a Bolsa Mat é resistente à mudanças, que é grande o suficiente para manter uma muda de roupas de bebê e quaisquer elementos essenciais de alimentação, bem como limpezas. Mas a característica que define essa bolsa, permite-lhe manter a aparência exterior. O trocador anexado ao exterior da bolsa com ímãs. Assim fazendo o trocaor de fácil acesso e ao mesmo tempo, evitando a contaminação no interior.


Fonte: Gizmodiva

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Que comida é essa?




Basta colocar um alimento desconhecido no prato para as crianças olharem aquilo como se fosse um alienígena. A recusa é imediata. Quando elas ainda são bebês, o desprezo pelo novo alimento acontece de maneira mais, digamos, rudimentar: é sumariamente cuspido para fora da boca. Não é um problema. Não é doença. Não precisa de tratamento. A maioria (cerca de 77%) dos bebês e crianças têm neofobia alimentar, receio ao alimento novo. É um fenômeno natural do crescimento e estaria ligado à necessidade de sobreviver ao ambiente, pois nunca se sabe se o alimento novo é seguro ou venenoso. Outras razões, ligadas ao comportamento e ao exercício do poder infantil de querer determinar o que comer, explicaria a recusa. Se eles não aceitam, isso não quer dizer que os pais têm de desistir de oferecer.


segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Câncer de Mama na Gravidez




Apesar de ser uma doença rara na gravidez, é também bem mais difícil de ser diagnosticada quando se espera um filho: as mamas maiores e os altos índices de hormônios ajudam a esconder o tumor. Paralelo a isso, como reflexo dos tempos modernos, as mulheres estão engravidando bem mais tarde. E isso significa maiores chances de se desenvolver um câncer de mama. Por isso, é importante estar alerta sobre a doença. Veja como ela ocorre na gravidez e quais os métodos mais eficazes de diagnóstico. 


> Incidência
Somente 0,2% a 3,8% dos casos de câncer de mama diagnosticado antes dos 50 anos irá ocorrer em mulheres grávidas. A incidência está entre um caso para cada 3.000 a 10.000 gestações. Portanto, são casos raros e as grávidas apresentam menor risco do que as não-grávidas. O fato é que a mulher moderna quer ter filho em idade cada vez mais avançada, tornando a incidência de câncer de mama maior. 


> Diagnóstico
É mais difícil detectar este câncer em mulheres grávidas, pois os altos índices hormonais na gravidez na glândula mamária dificultam a percepção pela mãe ou pelo médico do tumor. Além disso, como as mamas ficam maiores, o auto-exame fica mais difícil de ser feito. Por isso, a primeira consulta do pré-natal é muito importante, pois os seios da mulher ainda não estão muito inchados e qualquer alteração é mais perceptível. Os exames de imagem, como ultrassonografia e mamografia, sempre com proteção abdominal, podem ser realizados com segurança em qualquer etapa da gravidez. Na suspeita de câncer, a biópsia com agulha ou cirúrgica com retirada de tecidos tira todas as dúvidas sobre o diagnóstico. 


> Tratamento
Depende do estágio em que se encontra a doença e do mês da gravidez. Na grande maioria das vezes, a cirurgia mais utilizada é a mastectomia. A cirurgia com a retirada parcial da mama poderá ser realizada após o quarto mês da gestação. Quando houver risco da doença se disseminar pelos demais órgãos, a quimioterapia pode ser usada a partir do quarto mês. Já a radioterapia e hormonioterapia têm contra-indicação absoluta na gravidez pelo risco de dano fetal. As cirurgias de reconstrução mamária também devem ser feitas mais pra frente, pelo risco de complicações. 


> Conseqüências para o bebê
Os tratamentos cirúrgicos preconizados não afetam a criança. Os casos de quimioterapia são mais delicados e existem relatos pequenos de complicações fetais, desde prematuridade, malformações e em alguns casos, morte. Na grande maioria das vezes, a criança sai ilesa.


CONSULTORIA: IVO CARELLI FILHO, PAI DE IVO, É PRESIDENTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE MASTOLOGIA REGIONAL SÃO PAULO E RESPONSÁVEL PELO SETOR DE MASTOLOGIA DA FACULDADE DE MEDICINA DO ABC. 


domingo, 15 de novembro de 2009

Dicas para tirar a Fralda



Para que o controle dos esfíncteres seja atingido, muitos aspectos do crescimento têm que estar desenvolvidos.


Todo um sentimento de segurança e autoconhecimento precisa ser sedimentado na criança para que se desperte a “vontade” de reter as fazes ou urina, e seja capaz de exercitar esse controle, por já ter seu organismo alcançado também a maturação nervosa necessária.


O controle das fezes e da urina é apenas o resultado de um treinamento destituído de significado para a criança. Esse controle ao contrário, “reflete” o nível de desenvolvimento psicológico e fisiológico alcançado pela criança que lhe permite “tomar conhecimento” de partes de seu EU, interessar-se por dominá-las e ser capaz de fazê-lo. Os aspectos fisiológicos e psicológicos (afetivo) são tão unidos e integrados nesta ocasião, que basta um simples desequilíbrio num dos dois para a criança perder o controle. 


A idade para alcançar o controle dos esfíncteres é muito variável, e gira normalmente em torne de 24 a 36 meses.


As épocas de clima quente são mais aconselháveis para a retirada das fraldas, pois dão mais conforto e não despertam sensação de falta de proteção, que o frio poderia proporcionar.


A partir que se verifica que a criança já possui condições para iniciar o controle, não voltar atrás nesta decisão, pois cada criança apresenta um comportamento neste período.

Sinais para avaliar se seu filho está pronto para começar desfralde:


1) Avisa quando faz xixi ou cocô na fralda, pede para trocar


2) Muda comportamento quando está fazendo cocô (para, se concentra, vai para um canto, debaixo da mesa, etc)


3) Os cocôs do seu filho são previsíveis, sempre na mesma hora do dia


4) Quando acorda de uma soneca, a fralda está geralmente seca ou quase seca


5) Entende o significado de palavras como molhado, seco, limpo, sujo, xixi, coco, pinico, fralda, etc.


6) Entende e atende pequenos pedidos como: guarde o brinquedo na caixa.


7) Nota quando alguém está usando o banheiro, fica curioso, quer dar descarga


8 )Consegue ficar períodos de poucas horas com a fralda seca


9)Tem entre 24 meses e 30 meses ou mais 


10)Tem um bom vocabulário, se comunica bem


11) A criança tem certa independência, quer fazer tudo sozinho, por roupas, por suco no copo, etc..


12) Quando seu filho quer fazer os itens acima, você tem paciência de ensiná-lo, ou prefere fazer por ele pois é mais rápido e fácil?


13) E você, mãe, está cansada de trocar fraldas, ou no fundo não se importa ainda com isso?


14) Existem mudanças de rotina na família em breve, irmãozinho chegando, viagens, etc? Se sim não é o momento certo.


15) Você considera o desfralde por que: alguém te disse que está na hora, porque seu filho está com quase 2 anos, seu instinto diz que seu filho está pronto para isso, a escolinha do seu filho requisita o desfralde, ou porque seu filho está interessado e já pediu para usar o pinico ou ficar sem fraldas mais de uma vez?

Conselhos práticos para o desfralde:


Uma vez começada a retirada devemos seguir um padrão, ou seja, retirar mesmo e não colocar hora sim hora não( salvo casos que teremos q usar de bom senso como viagens , trajetos longos de carro longe do banheiro..etc..) mas no geral cortar a fralda mesmo. Esse processo exigirá paciência, pois algumas vezes consiguirão, muitas outras não. Não devemos de modo algum repreender ou pressionar qdo não conseguirem, pois eles mesmos se sentirão frustrados, mas, ao contrário, passar confiança e acreditar que uma hora conseguirão (e respeitar o tempo de cada um).


_ Ler uns livrinhos uns livrinhos sobre o assunto junto. – Ex: O que é que se faz com um penico?"(Ed. Salamandra) e "Coco no trono"... DVD que aborda o assunto: "Urso da casa azul - Crescendo e aprendendo"


_ Dar tchau pro xixi/cocô e eu falar que ele tinha ido para casinha ver a família xixi... 


_ Outra tática: a cartela de adesivos, tipo Hello Kit... Escolher um tema favorito e combinar que colocaríamos um no quadro cada vez que fosse feito no vaso. Fazer um cartaz do Xixi/cocô e colocá-lo na parede do banheiro. Lá vai ficar os adesivos conquistados.
Quando estiver com certo controle e já estiver aprendido que se faz xixi/cocô no vaso, combinar que quando juntar 8 adesivos ganha um presente.


_ Ah, no caso de "acidentes": comprem papel higiênico barato. Usem para tirar o xixi do chão e colocar "no lugar certo" (penico ou vaso sanitário). Este é o xixi apressado. "Agora o xixi pediu desculpas e disse que na próxima vez vcs chegarão no penico e vão ganhar o premio (adesivo)"

_Combinar:
Se vamos para a casa de alguém “xixivel” ou para escolinha, colocar a calcinha. Se vamos para algum lugar “não xixivel”, vai de fralda. 


_ Usar a fralda de transição (tipo calcinha) da Huggies pra sair; elas têm estrelinhas que somem qdo a criança faz xixi. Fazer um joguinho de que não pode deixar as estrelinhas sumir e cada vez que ir ao banheiro e as estrelinhas continuarem, comemorar... 


_Em banheiros com limpeza duvidosa, fazer a cadeirinha com o braço pra ela sentar OU colocar ela de pé na borda do vaso e fazer agachada. OU Comprar um estoque de papel protetor de vaso (que hoje se encontra em lojas especializadas) – O que melhor a criança se adaptar.


_ Pode ocorrer de ter que optar para os xixis nas plantinhas de parques. O importante é chegar num lugar e já verificar onde é o banheiro, pois no início eles avisam um pouco em cima da hora.


_Sair para fazer a COMPRA de calcinhas. Escolha as coloridas, rosas, de princesas e de temas que ela gostar... e de algodão. O que vale é comprar o estilo que vai animá-la com os olhos. 


_ Levar de cada 10 a 20 min no penico/vaso; se fizer bastante xixi de uma vez e não tomar muito líquido pode esperar até uma 30 min. para a próxima "sentada"


_Usar bastante a vaidade dela, comprei varias calcinhas bonitas, com desenhos de princesas (aquelas da Hering são ótimas) e brincar que se ela fizer na calcinha a princesa vai ficar triste e molhada. A princesa vai ficar resfriada e com febre.


_Fazer aquela festa quando fizer no penico/vaso; bater palmas, dar parabéns, etc...


_ Comprar um banquinho pra ajudar subir no vaso.


_ Comprar o redutor de assento/penico.

Retorno a fralda para o cocô, às vezes acontece:


Por algum tempo, a criança pode prefirir usar a fralda (mesmo desfraldado de dia, só para o cocô). Comprar fraldas vagabundas, para ser o “porta-cocô”.


Nova cartela de adesivos. Tb dar uma saladinha de frutas antes com mamão incluído no pote (mamão, melão, uva, abacaxi, kiwi) ajudou bastante a ele não resistir... 


Fralda Noturna:


Pode ser retirada quando a criança acordar 15 dias seguidos com a fralda seca.

Outras dicas muito complicadas e exageradas, no meu ver ... No meu caso seria complicar uma coisa que estava acontecendo naturalmente...
São dicas de um pediatra ou educador infantil, não me lembro. O nome dele é Brazelton. Mas achei muito complicada.




DÚVIDAS MAIS COMUNS:


-QUAL A MELHOR ÉPOCA DO ANO? 
O verão, porque os pequenos ficam mais incomodados com a fralda, por causa do suor e do calor.


- COMO ORIENTAR A BABÁ?
A babá deve avisar a mãe se notar que a criança está pronta e seguir as orientações dos pais.


- É LEGAL OFERECER PRESENTINHOS?
Não, essa é apenas outra forma de pressão. "Você tira da criança o prazer dessa conquista", diz Brazelton.


-E SE EU JÁ PRESSIONEI DEMAIS? Peça desculpas, literalmente explique para a criança que "a mamãe estava exagerando, mas agora vai ficar tudo . bem". É importante mostrar para eles que você pretende corrigir uma atitude errada do passado e usar uma linguagem que eles entendam.

SEM FRALDA: 
OS PRIMEIROS PASSOS:


- DEIXE-O ESCOLHER O PENICO
Quando ele estiver pronto, leve-o para comprar o penico.
Deve ser um modelo que possibilite que ele apóie os pés firmemente no chão. Diga: "Esse é o seu penico, e esse é o da mamãe e do papai. Um dia você vai poder usá-lo como nós".


- DEIXE-O SENTAR NELE DE FRALDAS
Se a criança demonstrar interesse, deixe-a sentar no penico de roupa ou de fralda, uma vez por dia, enquanto você senta na privada. Fique ao lado dela, conte uma história, converse. Se ela quiser sair permita.


- ESVAZIE A FRALDA NO PENICO
Depois que ela fizer cocô na fralda, leve-a para esvaziá-la no penico. Se a criança se mostrar incomodada, não o faça até que se desinteresse das fezes. Caso contrário, faça isso uma ou duas vezes por dia. Lave as mãos dela como você faz. Repare se ela se mostra interessada na rotina.


- DEIXE-A SEM FRALDA
Pergunte se ela gostaria que você a ajudasse a ir ao penico. Ela pode surpreendê-lo e realmente usá-lo pela primeira vez. Não demonstre todo o seu entusiasmo soltando fogos.
Ela precisa ver isso como uma conquista dela e não sua. Diga: "Você usou o penico como o papai e a mamãe fazem".


- HORA DA CALCINHA OU CUECA
Se a criança parece entusiasmada com suas conquistas, ofereça calças que possa baixar sozinha. Ela está no caminho.


ESTÁGIO AVANÇADO
- Se a criança demonstrar interesse leve-a para entornar o penico no vaso. Caso não, não jogue as fezes fora até que ela se desinteresse delas.


- Se ela quiser pode deixar que dê a descarga.




- Se ela demonstrar vontade deixe-a sem fraldas à noite, mas, caso ela molhe a cama, não tenha medo de voltar atrás. Se a criança tiver confiança de que é apenas um adiamento temporário, terá a tranqüilidade que precisa para continuar.


Fonte: Comunidade Mamãe e Bebe

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Sapato de salto alto para bebês









Esses sapatinhos são para bebês de até 6 meses, ou seja, que ainda não caminham. Eles são extremamente macios e moles, e ainda engraçados (e como!). Foram feitos para serem parecidos com sapatos de salto alto.
Se você quiser adquirir um pra sua bebê, vá ao site da Heelarious. Eles custam em torno de US$ 30 dólares.

Fonte: Heelarious

Carrinho de bebê vendido no Brasil causa amputações em crianças nos EUA



Mamães que têm esses modelos de carinho ou que pretendem comprar, fiquem atentas:


QUATRO MODELOS DA MARCA INGLESA MACLAREN SÃO VENDIDOS NO BRASIL – OS MESMOS QUE CAUSARAM 12 ACIDENTES COM BEBÊS


Quatro modelos de carrinhos de bebê da marca Maclaren vendidos no Brasil passaram por um recall nos EUA após relatos de que 12 crianças tiveram dedos das mãos amputados. O recall de cerca de um milhão de carrinhos foi anunciado pela fabricante inglesa Maclaren e pelo CPSC, órgão de defesa do consumidor do governo americano. Segundo a fabricante dos carrinhos, os consumidores que adquiriram os produtos devem interromper o uso imediatamente. As amputações foram causadas por uma dobradiça que permite aos pais fechar o carrinho para levá-lo na mão. Como essa peça não é coberta, o recall pretende tampar essa parte por meio de um kit que será entregue ao consumidor. 


Apesar de não ter havido casos no Brasil, a preocupação paira entre os pais, já que os modelos da marca vendidos no país continuam disponíveis à venda nas lojas através da única importadora e revendedora dos produtos há oito anos, a Brasbaby. Segundo o Ministério da Justiça, a Maclaren será obrigada a fazer o mesmo recall para os consumidores brasileiros caso fique constatado que seus carrinhos trazem a mesma peça que causou as amputações nos EUA. A PRO TESTE (Associação de Consumidores) notificou a Brasbaby para que promova logo um recall, antes que ocorra aqui os acidentes que deceparam dedos de crianças nos Estados Unidos.


Os modelos são : Techno XT, Twin Techno, Volo e Quest Sport.


Fonte: Baby Vip




quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Benefícios da Natação




Com certeza você já deve ter ouvido falar que a prática da natação é muito benéfica a saúde de qualquer pessoa, mas o que acontece é que apesar da natação ser uma técnica bastante antiga, ainda há muitas pessoas que desconhecem tais benefícios que ela oferece.


Pois bem, segundo especialistas, a natação é um esporte completo, pois mexe com toda a musculatura de nosso corpo, nos ajuda a perder centenas de calorias, enrijece nossos músculos e define a silhueta, além de ser uma excelente atividade para nos ajudar a relaxar a mente e também ativar a memória, pois esse esporte garante uma ótima oxigenação em nosso cérebro. Saiba também que os especialistas recomendam a prática da natação desde bebê, pois ajuda a desenvolver um sistema respiratório mais resistente, tornando os pequenos menos propensos a desenvolver doenças respiratórias e alergias. Além de todos esses excelentes benefícios da natação, não podemos esquecer ainda que a prática desse esporte é também um ótimo combatente do estresse, pois devido a grande concentração exigida no momento dos movimentos e também da respiração, faz com que nossas tensões e estresse do dia a dia sejam aliviados, o que a torna uma ótima opção para esquecermos dos problemas do cotidiano. 


Você que estava pensando em se matricular em uma aula de natação ou colocar seus filhos para praticá-la não tem mais dúvidas, pois os benefícios oferecidos através desse esporte são infinitos, sendo indicado para pessoas de todas as idades.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O que as Crianças precisam comer - 2 à 6 anos




Alimentação
Os itens da fase anterior mais alientos ricos em vitamina C, zinco e fibras.


Características
Proteínas ajudam no desenvolvimento muscular, vitamina C previne infecções, zinco, a anemia, e as fibras regulam o intestino


Observação
É preciso atentar ao consumo de produtos industrializados, altamente calóricos 




Fontes: Maria Camila Borges Domingos, nutricionista da área de pediatria do Hospital Santa Catarina (SP); José Spolidoro, presidente da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (Sbnpe); Eurico Mendonça , endocrinologista do Hospital Infantil Sabará; Fábio Ancona Lopez, nutrólogo e pediatra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Mauro Fisberg, pediatra e nutrólogo, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Paula Canavó, nutricionista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

O que os Bebês precisam comer - 1 à 2 anos




Alimentação
Entram arroz, feijão, legumes, verduras, carne ou frango desfiado. Temperos fortes devem ser evitados


Características
Essencial ao desenvolvimento físico e cognitivo: a falta de ferro causa anemia e a de vitaminas e minerais afeta a visão e a pele. A escassez de carboidratos prejudica a produção de hormônios


Observação
As gorduras não devem ser retiradas do cardápio, pois atuam na formação do cérebro




Fontes: Maria Camila Borges Domingos, nutricionista da área de pediatria do Hospital Santa Catarina (SP); José Spolidoro, presidente da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (Sbnpe); Eurico Mendonça , endocrinologista do Hospital Infantil Sabará; Fábio Ancona Lopez, nutrólogo e pediatra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Mauro Fisberg, pediatra e nutrólogo, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Paula Canavó, nutricionista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

O que os Bebês precisam comer - 6 meses à 1 Ano




Alimentação
Papa doce, com frutas, e salgada, com carne e batata, e sucos naturais


Características
Início da alimentação mais completa, já que o leite não supre mais todos os nutrientes necessários


Observação
Gosto e a textura dos alimentos são percebidos pela criança. A papinha industrializada não deve ser oferecida com frequência.




Fontes: Maria Camila Borges Domingos, nutricionista da área de pediatria do Hospital Santa Catarina (SP); José Spolidoro, presidente da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (Sbnpe); Eurico Mendonça , endocrinologista do Hospital Infantil Sabará; Fábio Ancona Lopez, nutrólogo e pediatra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Mauro Fisberg, pediatra e nutrólogo, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Paula Canavó, nutricionista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz



O que os Bebês precisam comer - Zero à 6 meses




Alimentação
Leite materno


Características
Possui os nutrientes necessários ao desenvolvimento e tem potencial imunológico


Observação
A fórmula infantil (leite especial para bebês) pode substituir o leite materno, caso a mãe não possa amamentar. O leite de vaca é vedado nessa fase




Fontes: Maria Camila Borges Domingos, nutricionista da área de pediatria do Hospital Santa Catarina (SP); José Spolidoro, presidente da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (Sbnpe); Eurico Mendonça , endocrinologista do Hospital Infantil Sabará; Fábio Ancona Lopez, nutrólogo e pediatra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Mauro Fisberg, pediatra e nutrólogo, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Paula Canavó, nutricionista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Pantufas para Pais & Filhos




Eu não pude resistir quando vi estes sapatos Dance for Father and Daughter, o que você precisa é de um pouco de tempo para usar com seu filho. Eles são feitos de feltro, vêm em um monte de tamanhos complicados, há dois conjuntos de pés e custa  € 95 Euros para a entrega na Finlândia. Claro que tudo pode depender se o pai pode dançar ... Dance for Father and Daughter vieram de uma fábrica finlandesa de feltro. Você pode comprar estes sapatos no site da Company.

Música para o seu Bebê na Gravidez!






Ligue o seu iPod, MP3 player ou iPhone para tocar música para o seu bebê no útero. Com Lullabelly, seu bebê pode desfrutar de muitos benefícios na música na sua gravidez. Ouvir música junto com seu bebê no útero é relaxante e cria uma experiência maravilhosa da ligação com seu filho. E tocando a mesma música após o nascimento pode ajudar seu bebê dormir melhor! Você pode comprar este Gadget por US$ 55 dólares no site da Lullabelly.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Gps para controlar o seu filho!






Agora você pode manter os olhos em seu filho em todos os momentos com este dispositivo pequeno, mais sofisticado, que combina a tecnologia GPS e celular para fornecer atualizações de localização em tempo real. O pequeno e leve, transmissor Buddy cabe facilmente em uma mochila, lancheira ou outro recipiente, tornando mais fácil e discreto para o seu filho levar. Você pode verificar a localização a qualquer momento usando um smartphone ou computador. Verificações de segurança personalizáveis, permitem-lhe estabelecer horários específicos e os locais onde seu filho deveria estar - por exemplo, na escola - fazendo com que o dispositivo possa alertá-lo com uma mensagem de texto se o seu filho deixa a área designada durante esse tempo. Você pode adquirir este Gadget no site da Bestbuy por US$100 dólares.


Fonte: TargetHD



quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Paracetamol pode prejudicar a ação das vacinas no organismo das crianças



Quantas vezes você levou seu filho para vacinar e ficou tentada a dar algumas gotinhas de antitérmico para que ele não tivesse febre depois? Cuidado. Essa atitude pode atrapalhar a resposta imunológica do organismo em relação à vacina.

Cientistas checos analisaram o ingrediente ativo acetaminofeno, presente no paracetamol (um tipo de antitérmico), e a reação que ele causa no organismo quando é dado para a criança logo após a vacinação para prevenir uma eventual febre.

Para a pesquisa, publicada na revista científica The Lancet, e financiada pela GlaxoSmithKline Biologicals (Bélgica), foram analisados 459 bebês saudáveis. Desses, 226 receberam três doses profiláticas (ou seja, antes do sintoma da febre aparecer) de paracetamol a cada 6 ou 8 horas após receber a vacinação. Os resultados mostraram que, no grupo que recebeu a dose do remédio, a concentração de anticorpos foi mais baixa se comparada com aqueles que não tomaram paracetamol.

Para Marco Aurélio Sáfadi, pediatra e infectologista do Hospital Albert Eisntein(SP) e membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), esse pode ser um indicativo de que a proteção da vacina é menor quando a criança toma o remédio antes mesmo de apresentar febre. “A indicação do medicamento quando a criança apresenta o sintoma é segura porque a resposta imune da vacina já começou e não haverá interferência”, diz. Ele alerta os pais para que a prática de dar esse tipo de antitérmico como prevenção seja abolida e, como qualquer medicamento, só ser oferecido à criança com indicação do pediatra.

10 Mandamentos para criar um filho único




1. Se ter apenas um filho for uma opção, é bom deixar claro para ele. Isso pode evitar chantagens sentimentais. Não sendo uma decisão do casal, não cometer o erro de sentir culpa por não ter tentado com mais afinco ter outros filhos. Geralmente, isso leva os pais a procurarem compensar o "coitadinho", fazendo as vontades e não estabelecendo limites. Pais que decidiram ter filho único são mais realistas e tranquilos, porque sentem que fizeram a escolha certa. 


2. Uma criança que se sente valorizada demais pelos pais, ou que recebe excesso de atenção, pode crescer achando que o mundo lhe deve alguma coisa. Resultado: sofre mais com as inevitáveis decepções. 


3. Como filhos únicos são precoces, costumam achar crianças da mesma idade bobinhas para o seu gosto. Isso ocorre, em geral, aos 7 ou 8 anos e é mais do que recomendável incentivá-los a conviver e interagir com colegas um pouco mais velhos, em vez de só fazerem programas de adulto.


4. Quando não há irmãos, a criança pode ficar dependente demais dos pais para tudo, da ajuda com o dever de casa às brincadeiras. Ela precisa aprender a se virar sozinha, pois o pai e a mãe não estarão sempre dispostos e/ou disponíveis. 


5. Querer dar a seu filho o que você não teve não é nenhum pecado. Mas providenciar o que ele quer segundos depois de manifestar o desejo é acostumá-lo mal. Numa família com mais crianças, cada uma tem de aprender a esperar sua vez. E aprender a esperar é uma lição vital. 


6. Seu filho único é o único filho que você tem, não a segunda chance dos pais de realizarem um sonho pessoal, tipo tornar-se uma bailarina clássica ou um craque de futebol. Se a criança perceber que esperam alguma coisa dela (e geralmente percebe), vai se esforçar para atingir um objetivo que pode não ser o que realmente quer na vida. 


7. Filhos únicos tendem a ser perfeccionistas, um mal que costumam compartilhar com primogênitos de famílias mais numerosas. Até aí, nada de mal, desde que os pais segurem o impulso de dar um jeitinho extra na arrumação que ele próprio fez da cama ou dos brinquedos. Não se deve esquecer que o melhor possível para uma criança não tem nada a ver com o melhor possível para um adulto. 


8. Irmãos implicam uns com os outros e essa é uma boa maneira de aprenderem a se defender melhor. Quem não tem essa experiência pode desenvolver uma sensibilidade exagerada às pequenas maldades que as crianças fazem entre si naturalmente e se magoar com mais facilidade. É importante os pais ficarem atentos para situações assim e explicarem que essas coisas costumam acontecer mesmo e não têm nada demais. 


9. Os pais devem aceitar o fato de que seu filho único vai se machucar um pouco. Se isso não acontecer, nunca vai crescer. Deixe-o experimentar alguma adversidade, por mais duro que seja. Vai doer mais em você do que nele, pode acreditar. O que ele mais precisa é do seu tempo e da sua coragem para virar as costas e deixá-lo respirar. 


10. Não é possível nem razoável dar tudo para uma criança, única ou não. Não há nada mais prazeroso para qualquer pessoa do que o sabor da conquista. O que vai definir se ela é feliz ou triste é a convivência harmoniosa na família, a boa educação (o que nada substitui) e o apoio dos pais, que não significa apenas passar a mão na cabeça, mas saber dar uma boa bronca quando for preciso. Tudo isso pode ser resumido numa regra simples: para seu Pequeno Príncipe ser feliz, se sentir amado e aprender a amar vivendo no mundinho particular dele, deve saber, sem sombra de dúvida, que tem sinal verde e incentivo para voar alto, mas sem ultrapassar certos limites, importantes para toda criança.